segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Turistas do Mato Grosso do Sul

A viagem pela Rota do Café começou repleta de 
bom ânimo e curiosidades...
No domingo, dia 23 de setembro, o grupo chegou em Rolândia para vivenciar uma manhã muito especial. Muito curiosos, queriam saber tudo sobre a história do lugar, sobre as peculiaridades, receitas, muitos até levaram sementes da Uvaia que é uma fruta nativa que está sendo colhida aqui na Pousada Marabú atualmente.
Para chegar na Pousada o grupo veio caminhando pela estrada do Curiango, passando pelo córrego Marabú protegidos pela sombra da mata ciliar do rio Cafezal. Chegando na sede puderam descansar um pouco e ouvir a história do lugar.
Tudo começou em 1937 quando Arnold e Alice Rechsteiner vindos da Suíça se aventuraram por estas terras sendo pioneiros na região. Os turistas puderam ver as caixas de madeira que vieram junto no navio que atracou em Santos e que foram transportadas até Rolândia com o trem.
Depois da pequena pausa o grupo pode se maravilhar com a natureza exuberante do lugar. Muitos pés de fruta, Jabuticabeiras, Mangueiras, Goiabeiras,Framboesas, Bananal, horta, mata nativa, reflorestamento e mata ciliar entrelaçados harmoniosamente num jardim de biodiversidade única. Puderam conhecer uma figueira de 4 anos comparando-a com uma figueira de 400 anos!! No meio da trilha conheceram o chalé pioneiro que foi a primeira casa que o casal de suíços construiu toda em peroba rosa podendo assim vivenciar um pouco do início da história da colonização do Norte do Paraná.
Depois da trilha, famintos, chegaram novamente à sede e esperando por eles havia uma mesa farta com pão caseiro, bolachas, torta de frutas, geléias e patês de produção própria da pousada, assim como uma especialidade tradicional do lugar, “Chaswaia” que é uma torta salgada de queijo! Além disso puderam saborear um café biodinâmico produzido na Fazenda Terra Nova. Um café que de tão bom pode se tomar sem açúcar!! 
Assim a manhã passou como num sonho e logo já era hora de partir novamente. Depois de muitos abraços, o grupo se despediu prometendo voltar o mais breve possível com mais tempo para poder desfrutar de lugares por onde passaram e para conhecer novas surpresas que a Rota do Café no Norte do Paraná tem preparado para eles! (Adrian Saegesser - Pousada Rural Marabu)

O grande ícone da Rota do Café também recebeu a visita dos sul mato-grossenses, o Museu Histórico Pe. Carlos Weiss, em Londrina. O prédio marca o início de desenvolvimento, o acervo, conta a história ao longo dos anos e o jardim...mostra um pouco de nossas riquezas, um cafezal! 
A maior parte do grupo era de Campo Grande e Dourados. Pessoas de melhor idade aceitaram o desafio de viajar muitos quilômetros para conhecerem um pouco mais sobre a cultura do café. A grande maioria só conhecia o café na xícara. Vários deles me perguntaram por que Londrina se autodenomina "A capital do Café" se não se vê mais café na região? Claro que entenderam que a origem da cidade está na cultura do café. Eu percebi como um nome pode gerar expectativas! (Cornélia Gamerschlag – Faz. Palmeira)
Conhecendo um cafezal de perto. Informações com o Sr. Norbert sobre como cultivar e cuidar dos cafezais, da muda à colheita.
 
Hora feliz, de saborear o café rural suíço da Fazenda Palmeira. Quitutes de família, elaborados com muito carinho!
Um grande honra receber pessoas de tão longe, interessadas em nossa história e cultura!
A Rota do Café é assim...faz parte de uma região especial e acolhedora, 
desenvolvida pelo café e cultivada pelo povo!

Nosso especial agradecimento à equipe da agência de turismo receptivo, Bella Vista Viagens e à guia que acompanhou o grupo, Ana Márcia Arcosta.

0 comentários:

Notícias

Vídeo

Seguidores