domingo, 29 de julho de 2012

FALANDO EM CAFÉ...

Muitas vezes não imaginamos quanto trabalho e dedicação existe por trás de uma xícara de café. Histórias de vida, trabalho árduo e sonhos...muitos sonhos são guardados em meio a estes cafezais!
Tudo começa nas mãos, do preparo da terra às tulhas de armazenamento, até chegar às torrefações e enfim, às xícaras.
                         
Notícias dos cafezais!
O mês de julho está terminado e com ele a temporada de colheita do café...
Até meados do mês praticamente 40% da colheita havia sido realizada, de acordo com Romeu Gair, Eng. agrônomo do EMATER e juiz internacional de café, "a colheita atrasou em função do clima que não permitiu uma maturação homogênea. A maturação atrasou e a chuva está atrapalhando a colheita. Muito cuidado é necessário com relação à qualidade, pois as chuvas não estão permitindo fazer uma colheita em volume e quem depende do sol para secar o café tem tido problema no terreiro com fermentações. Lembrar que não pode juntar o café do chão com o de árvore colhido no pano. Sempre é preciso lavar o café para separar o boia do café maduro e verde." Salienta ainda que "para quem vai participar de Concurso, é necessário aumentar a quantidade de café colhido para obter o lote final".
 
As cenas deste post são do período da colheita nas Fazendas Terra Nova e Palmeira, seus trabalhadores em ação para colher o melhor dos frutos maduros, ponto adequado para os cafés especiais.
 
Tecnologia e Inovação também fazem parte da cafeicultura norte paranaense, no entanto, sem as mãos humanas de nada adiantariam!
Da moega, passando pela seleção nos lavadores até o terreirão...lá é preciso cuidar, para a chuva não estragar!
  
Os turistas na Rota do Café têm a oportunidade de vivenciar os cafezais, conviver com as pessoas da "terra" e com o dia a dia das fazendas produtoras, apreciar paisagens únicas nesta época do ano e experimentar passo a passo o processo produtivo do café, até a xícara!
Grupo de turistas do SESC Prainha - Florianópolis/SC, visitaram a Rota do Café em dias de muita diversão e sabores incríveis! Nestas fotos estavam na Fazenda Palmeira.
Meu pedaço de terra vermelha
O vento vem...
Brisa brava me cutuca
Sopra bem na minha nuca
Varrendo logo a vontade
de dormir até mais tarde.
Tic-tac... tic-tac...
O relógio faz barulho
Galo alegre também canta
me encantando para acordar.
Esse tempo corre tanto!
E parece me levar
Há poeira na estrada
— redemoinho de areia —
Vento que venta sem parar...
Voam aves lá no céu
Enquanto a boiada
Aposta corrida em disparada
“— Quem vencer vai ganhar mel!”
O vento vem...
Agora veloz como a águia
Toma banho na lagoa
Pula, brinca, bebe água!
Daqui olho o “terrerão”
Vem vindo na ventania...
Joga para lá e para cá o café
Verde no pé – preto no chão.
Esse pedaço de terra vermelha
Varrido pelo vento
que vem
É o meu mundo
Pequeno – grande – profundo!

Autora: Aluna Pâmela Aparecida de Oliveira
Finalista da Olimpíada de Língua Portuguesa - Edição 2010

2 comentários:

soninha cidreira disse...

Lindo D+!! Parabéns!!

Rota do Café disse...

Obrigada Soninha, que bom que "passeou" pelo nosso blog, venha mais vezes! Equipe Rota do Café

Notícias

Vídeo

Seguidores